domingo, 3 de abril de 2011

Brincadeiras de 03 a 07 anos


ATIVIDADES RECREACIONAIS
RECREAÇÃO DE 03 Á 07 ANOS.


RECREAÇÃO:

DEFINIÇAO: A recreação tem como objetivo principal ofertar ao individuo uma opção (seja ela cultural, artística, esportiva, entre outras) para que ele escolha o que fazer em seu tempo livre.

ATIVIDADE LÚDICA: é todo e qualquer movimento que tem como objetivo produzir prazer quando de sua execução, ou seja, divertir o praticante. A atividade lúdica também é conhecida como brincadeira.

JOGOS: É uma atividade livre, fundamentalmente lúdica, contendo regras ou não, convencionais, de caráter competitivo, que possui como caratecterística principal a espontaneidade e possibilita a espressão de vivências culturais de forma intensa e total. Os jogos devem ser compat’iveis aos per’iodos  de desenvolvimento mental e motor das crianças, abranger o domínio psicomotor, as habilidades motoras e as capacidades físicas.
CLASSIFICAÇÃO: Os jogos podem ser classificados de diferentes formas.
·        Jogos motores:  são aqueles que exigem a participação ativa do corpo em sua totalidade. Ex.: PEGA-PEGA (depende  de uma série de condições como velocidade, reflexo, agilidade, visão)
·        Jogos sensoriais: ajuda a desenvolver os órgão dos sentidos. Ex.: COBRA-CEGA (depende da audição e do tato).
·        Jogos criativos: desenvolvem a criatividade e espontaneidade da criança atrevés do jogo, usando movimentos imitativos, gestuais, interpretativos e corporais em geral.
·        Jogos recreativos: São aqueles que tem o objetivo apenas de recrear ou distrair por meio de uma atividade integradora.
·        Jogos intelectivos: desenvolvem principalmente o racioc’inio, a mem’oria, a observação, a concentração, entre outras capacidades. Ex.: DOMINÓ, XADERZ, DAMA, TRILHA, MEMÓRIA...

PERFIL DO RECREADOR (A):
1 – Relacionamento interpessoal                              
- Extroversão e introversão
- Não-julgamento e extroversão
- Cuidado com a perda da noção do ridículo!
- Cuidado com a insistência!

2 – Respeito à opinião dos outros
- A escuta e o olhar como instrumentos de aproximação
- Organização e adaptação de atividades

3 – Iniciativa
- Aspectos interpessoais e teórico-metodológicos

4 – Mediação
- O facilitador
- Aquele que resolve conflitos

5 – Criatividade
- Não é dom divino não... inspiração e/ou transpiração!
- Flexibilidade cognitiva e abertura ao novo
- Fora negativismo e medo de críticas!!!

6 – Metodologia e postura de educador
- Ser educador em todos os espaços
- Educar pelo e para o lazer
- Formação crítica e transformação social

RECREAÇÃO DE 4 À 6 ANOS DE IDADE:
Compete levar entretenimento, junto com atividades que propiciem consciência ecológica, resgate de valores culturais, sociais, lúdicas pedagógicas e de concentração, que é das principais metas oferecidas. Atividades noturnas sempre bem elaboradas para que haja concentração das crianças permanecendo-as dentro do salão ou ambiente que estiver trabalhando, dando liberdade para os pais participarem das atividades também, visando desta forma, garantir melhoria da qualidade de vida.
PERFIL DESTA FAIXA ETÁRIA:
v     Não mantém a atenção por muito tempo;
v      Sempre explora o ambiente;
v     Encontra-se na fase do “jogo simbólico”.
v     O grupo começa a ser muito importante
v     Encontra-se fase do jogo de construção
v     Começa a entender a realidade.
v     Maior concentração, atenção e memória
A criança se diverte em explorar o ambiente, alem de intensificar seus movimentos e gestos. Aprende gradualmente a viver as demandas da realidade do mundo, tendo como importância a interação social, encontrando-se fases dos jogos de construção, utilizando como principio juntamente as regras para jogos e brincadeiras.

ATIVIDADES ADEQUADAS
è    Brincadeiras, gincana das solicitações, rodas cantadas, jogos tradicionais,
“caças” simples, propor brincar com brinquedos p/ construção de casas, prédios etc., alem de jogos e “caças” com regras simples.

POSTURA DE UM (A) PROFISSIONAL:

INTERESSE, E DUCADO E GENTIL
COMPROMETIMENTO
SEM ACHOMETROS
CONHECER O QUE IRA EXECUTAR
PERGUNTAS
CONCENTRAÇÃO
CARISMA


SORRINDO
AGITADO
ATENTO
CATIVANTE
FIEL E AMIGO
AGIL



ATITUDES :
Gírias;
Contato Físico;
O que Falar;


ATENDIMENTO:
Excelência
Rapidez
Perfeição
Detalhes (diferencial)

ESTILOS:
Modo de se vestir;
Uniformes;
Cabelos;
Unhas;
Higienização
Tênis limpos


BRINCADEIRAS:
Brincadeiras de campo
·         Momento ecologia:
Desenhar uma flor no papel, fazer a criança pintar e recortar o desenho, caso a tenha criança tenha 03 ou 04 anos, o próprio educador tem que recortar o papel. Logo em seguida, colar a flor num palito de sorvete que será o cabo da flor. Enfeitar a flor com gliter para ficar mais atrativa para a criança, enquanto de desenvolve a flor, o educador fala para a criança da importância da natureza na vida do homem, o que ela nos proporciona, as vantagens, exemplifica os problemas atuais, assim o educador auxilia a criança entender como funciona o mundo da natureza, o qual o próprio homem esta destruindo.
Essa brincadeira é ótima para o desenvolvimento motor.
·         Momento barulho
Colocar grãos de feijão ou milho dentro de copo descartável e fechar este copo com outro em cima. Cortar vários pedaços de papel crepom de várias cores para a criança colar depois no chocalho que ela mesma criou. Tendo o chocalho pronto, fazer com q a criança descubra o barulho que tem nesta brincadeira o educador pode desenvolver o aspecto auditivo da criança, pegar outros objetos que façam outros barulhos e ate mesmo montar uma bandinha para a diversão da garotada.
·         Momento las cores
Pegar um papel de flipchart e vários potes de tinta guache, e várias cores. Primeiramente as crianças desenham o que querem, pede-se para que cada criança use somente uma cor. Logo em seguida, proponha-se que a criança comece a misturar as cores do seu próprio desenho, a mistura de cores irá resultar uma nova cor. O educador pode explicar a partir de então sobre as cores primárias, secundaria... E que a mistura de algumas de algumas cores pode resultar em cores que talvez nem elas conhecessem.
·         Momento arquitetando
O educador junto com as crianças faz uma massinha de modelar, com farinha de trigo, óleo, água e sal, no primeiro instante, sem usar corantes. Tendo a massa de modelar pronta, distribuir pedaços da massa para cada criança. Deixar com a que criança crie o que quiser. O educador pode dar idéias como coração, minhoca, estrela... Mas á principio, deixar a mente da criança livre. Quando a criança já estiver sua “obra de arte” pronta, o educador pode entregar um pincel e potes de tinta guache para cada um colorir sua própria arte.
·         Momento beixigando
O educador auxilia as crianças a colocarem grãos de feijão dentro de cada bexiga. Logo em seguida coloca-se cola dentro da bexiga, depois enche e bexiga com ar e dá um nó na ponta. A bexiga transforma num famoso “João bobo”. Quanto isso estiver pronto, fazer com que a criança desenhe com um pincel e tinta guache a rosto do seu brinquedo pode pedir ate mesmo para desenhar o corpo inteiro. Recomenda, caso a criança tenha entre 03 a 04 anos pincel e tinta guache, mas se ela tiver 05 e 06 anos de idade, pode fazer com que ela desenhe no seu brinquedo com caneta. Pode pedir também para a criança enfeitar seu brinquedo com cabelo, recortar vários pedaços de papel crepom e deixar que ela cole no tipo da bexiga.

·         Momento caça ao tesouro
O educador se fantasia de algum personagem de contos de fadas e conta sua história. Logo em seguida pede ajuda a criança para que elas ajudem o herói a encontrar o seu tesouro que foi roubado pelo vilão e que está escondido ao está vigiando eles ao redor deles. Caso tenha a oportunidade de outro educador se fantasia de vilão pode, mas se as crianças tiverem entra 03 e 04 anos, o aconselhável é não deixar o vilão aparecer, como se fosse uma corrida contra o tempo. Quando encontrarem o tesouro, sempre recompensar as crianças com pirulito ou balas ou chocolates, e sempre ter uma moral na história, e que sempre vale a pena ter um bom caráter.

Brincadeiras aquáticas
·        Serpente maluca
Sempre deixar as crianças em uma piscina bem rasa, de preferência que fique no máximo na coxa deles. Colocar as crianças todas sentadas, o educador começa cantando uma música: essa é a história da serpente que subiu no morro para procurar um pedacinho do seu rabo. Hey, você aí (aponta para uma criança que estiver sentada) é um pedaço do meu rabão aaõa, aaaõa (e a criança passa por debaixo da perna do educador). Logo o término da música inicia-se novamente, e assim vai se formando uma fila de criança atrás do educador, uma de cada vez. A brincadeira termina quando todos formarem a serpente que o educador começou.
·        Milk shake
Colocar as crianças sentadas na frente do educador que irá fazer uma Milk shake imaginário com as crianças. O educador começa simulando que está com um copo na mão, e faz as crianças repetirem seus gestos, simula que esta colocando ingredientes que se coloca num Milk shake. Ex.: frutas, sorvetes, leite, chocolate, etc... Para a brincadeira não ficar muito parada e não perder a atenção das crianças, o educador começa a colocar coisas erradas. Ex.: lagartixa, formiga, lesma... Etc... E deixe que as crianças corrijam o educador. Logo de ter colocado todos em ingredientes e ter tirado todos os que estavam errados, o educador simula que esta fechando seu copo e pede pra que cada criança feche o seu também e simula que irá bater seu copo como se fosse uma coqueteleira... Bate, bate, bate e logo em seguida simula que esta tomando o seu Milk shake e pede pra que cada criança tome o seu.
·        Comida brasileira
Pede-se para que as crianças batam 3 palmas de uma vez. Após o ensaio. O educador começa a cantar a música. Atenção (3 palmas) vai começar (3 palmas) a brincadeira (3 palmas) da comida (3 palmas) brasileira (3 palmas) só bate palma (3 palmas) se for comida (3 palmas) e fala um alimento de cada vez, ex.: arroz (3 palmas), feijão (3 palmas)... Formiga a criança que bater palma não prestou a atenção que a música solicita e recomeça a música novamente.
·        Senhor Vampiro
Coloca as crianças sentadas em uma extremidade da piscina e o educador em outra de costas para elas. As crianças perguntam em voz alta:
- Senhor Vampiro, que horas são?
O educador que será o vampiro e que estará de costas irá responder também em voz alta, sem se virar para trás, um horário. Ex.:
-2 horas.
A quantidade de horas que o educador no caso o vampiro falar será a quantidade de pulos que as crianças terão que dar em sentido o vampiro (educador). Quando as crianças estiverem chagando no educador, o mesmo responde:
- meia noite, hora de pegar vocês!
As crianças saem correndo e não pode deixar o vampiro pegar, o educador pega todas as crianças e a primeira que ele pegar torna-se o vampiro na próxima vez. Caso uma das crianças seja o vampiro, é necessário que o educador esteja por perto para auxiliar na hora de dizer as horas.
·        Chuva da alegria.
Colocar bolinhas de plástico coloridas na piscina, e fazer missões com as crianças. Ex.: o educador pede para as crianças trazer em menos de 20 segundos apenas as bolinhas verdes, nisso todas as crianças vão ate as bolinhas verdes e levam até o educador. Após missão cumprida, o educador muda as cores das bolinhas.
·        Bexigão
O educador enche várias bexigas de água e entrega um para cada criança. Cada criança tem a missão de cuidar muito bem da sua bexiga. Pode-se jogar fazer lenço atrás dentro da piscina com bexigas.







Brincadeira com musicas e gestos
·        Música do contrário
O Monitor diz-
Quando eu digo sim, quando eu digo sim, quando eu digo sim, vocês tem que dizer não.
Quando eu digo não, quando eu digo não, quando eu digo não, vocês têm que dizer sim,
Monitor - Sim, sim, sim,
Grupo - Não, não, não,
Monitor - Não, não, não,
Grupo - Sim, sim, sim,
Variações: noite/dia; sol/lua; yes/no; Zé/João; céu/terra; quente/frio etc.
O Monitor pode variar a seqüência, dizendo, por exemplo: dia, não, sol...
Grupo: noite, sim, lua.


·        O cão
O cão entrou pela cozinha e o prato ele quebrou,
O cozinheiro viu e o cão ele matou.
Vieram as galinhas e enterraram o cão,
Na sua sepultura há a seguinte inscrição:
Aqui jaz um cão, que o cozinheiro matou
Porque o cão, o prato ele quebrou!
Gestos:
cão: mãos fechadas em cima da cabeça
prato: as duas mãos em cima da cabeça com os dedos polegares e indicadores formando
um círculo
quebrou: as mãos fazem um gesto, como se estivesse quebrando alguma coisa em cima
da coxa
cozinheiro: as duas mãos elevadas em cima da cabeça, imitando uma coroa
matou: as duas mãos fechadas fazem um gesto, como se tivesse quebrado um lápis ao
meio
galinha: gesto igual ao das galinhas quando batem asas
sepultura: desenha-se um quadrado no ar
seguinte inscrição: escreve-se qualquer coisa no ar
jaz: faz-se uma cruz com os dedos indicadores
À medida em que todos vão memorizando a seqüência das palavras, vai-se ocultando as palavras principais, trocando-as por outros sons ou por outros gestos, variando e tornando a atividade mais animada e divertida.


·        Música da velha e do velho
Atenção ( o grupo bate três palmas)
Concentração ( idem)
Vai começar ( idem)
Já começou ( idem)
A brincadeira ( idem)
Do Vanderley ( idem)
Da Vanderléia ( idem)
E também ( idem)
Da dona velha ( idem)
Velha caiu ( idem)
O velho viu ( idem)
A calça dela ( idem)
Era verde ( idem)
E amarela ( idem)
Vai ser a velha...
Quem não...(dá-se uma ordem para que eles cumpram, quem não cumprir, será
considerado a velha)
Nesta música, o monitor sempre fala a primeira frase, a qual é repetida, em seguida,
pelo grupo.


·        Comida Brasileira
Atenção ( o grupo bate três palmas)
Concentração (idem)
Vai começar (idem)
Já começou ( idem)
A brincadeira ( idem)
Da comida ( idem)
Brasileira (idem)
Arroz (idem)
Feijão (idem)
Macarrão (idem)
Cuecão (idem)
Nesta música, o monitor sempre fala a primeira frase ou palavra, a qual é repetida, em
seguida, pelo grupo e, quando ele falar alguma coisa que não seja comida e alguém
bater palma, é por que a pessoa “come aquilo”.



·        A árvore da montanha
Refrão: A árvore da montanha Ô lê i a ô
A árvore da montanha Ô lê i a ô
Esta árvore tinha um galho, ó que galho, belo galho
ai ai ai que amor de galho!
O galho da árvore.
A árvore da montanha..(repete-se o refrão)
Neste galho tinha uma folha, ó que folha, bela folha
ai ai ai que amor de folha!
A folha do galho, o galho da árvore.
A árvore da montanha …(repete-se o refrão)
Nesta folha tinha um ninho, ó que ninho, belo ninho,
ai ai ai que amor de ninho!
O ninho da folha, a folha do galho, o galho da árvore.
A árvore da montanha…(repete-se o refrão)
Este ninho tinha um ovo, ó que ovo, belo ovo,
ai ai ai que amor de ovo!
O ovo do ninho, o ninho da folha...(completando com as palavras acrescentadas)
Acrescentam-se palavras, até que se chegue à figura homem ou até quando não houver
mais interesse do grupo.

·        Tche Tche Cole

Tche Tche Cole
Tche Cole lizá
Aliza, aliza mange
Omá the the
Raiche, raiche
 Todos em roda cantam, fazendo os seguintes movimentos: na parte da letra que diz , Tche Tche Cole, todos  levamtarao as duas maos para cima e em siguida para os lados,  a partir dai, cada parte da música você faz gestos com os braços, com as pernas, com o corpo, fazendo com que eles imitem voce. No final da música junte com uma música engraçada , por exemplo, (pintinho, lacraia..)


·        Lá em cima do Piano
Lá em cima do piano
tem um copo de veneno.
Quem bebeu, morreu,
De menos eu.
O azar foi seu.
Todos os brincantes em pé ou sentados em roda escolhem um que vai conduzir a brincadeira. Todos recitam o texto e quem está conduzindo aponta primeiro para o alto e depois para cada um dos brincantes na roda. Quando o texto acabar, o brincante que está sendo apontado sai da roda ou é o escolhido para realizar alguma coisa previamente combinada.

·        A serpente
Essa é a história da serpente,
que desceu do morro para procurar
um pedaço do seu rabo.
E você é... e você é... e você é
um pedaço do meu rabão.
Todos fazem uma grande roda. Um dos brincantes sai e começa passear pelo centro da roda, acompanhando o ritmo da música, como se fosse a 'serpente'. Na parte da letra que diz "e você é... e você é... e você é um pedaço do meu rabão", esse brincante deve parar em frente de qualquer outro da roda e abrir as pernas para que o outro possa passar por debaixo delas. Depois, quem passou vai para as costas do outro, segurando na cintura da pessoa da frente, formando uma fila. Recomeça a música e quem está de frente escolhe mais um pessoa da roda que deverá passar por debaixo dos dois, e depois outro e mais outro são escolhidos para ir formando o rabo da serpente. Quando o rabo da serpente já estiver grande e enquanto um brincante estiver passando por debaixo das pernas, pode-se prolongar o "ão" do rabão, cantando assim "do meu rabãããããão...", até ele conseguir sair na ponta final do rabo da serpente.

·        Ua tatá e Aram sam sam
Ua tatá ua tatá
Guli, guli, guli, guli
Ua tatá (3 vezes)
Auê, Auê
Guli, guli, guli, guli
Ua tatá (2 vezes)
Aram sam sam
Aram sam sam
Guli guli guli guli
Guli guli aram sam sam
Aravi aravi
Guli guli guli guli
Guli guli aram sam sam
Todos em roda cantam, fazendo os seguintes movimentos: na parte da letra que diz "Ua tatá, Ua tatá", cada um bate as mãos nas próprias pernas, na hora do "Guli, guli, guli, guli", coloca-se a mão direita em cima da cabeça e mão esquerda embaixo do queixo, estalando os dedos. Na hora do "Auê Auê", todos os brincantes erguem os braços balançando para os lados. Toda vez que a música voltar para o "Guli" e o "Ua tatá", todos repetem os mesmos movimentos que foram feitos no início da brincadeira. Quando recomeçar a música, no "Ua tatá", em vez de bater nas próprias pernas, bate-se as mãos nas pernas do colega da direita e faz-se o "guli, guli" no colega da esquerda. Ao repetir a música muda-se de lado, isto é, o "ua tatá" nas pernas do colega da esquerda e o "guli, guli", no colega da direita. O desafio é fazer seguidamente a brincadeira, alternando os movimentos, fazendo-os o mais rápido possível junto com a música.
O "Aram sam sam" brinca-se do mesmo modo que o "Ua tatá".

·        Ip op
Fui visitar minha tia em Marrocos, ip, op
fui visitar minha tia em Marrocos, ip op
fui visitar minha tia, fui visitar minha tia
fui visitar minha tia em Marrocos
No caminho eu encontrei um camelo ondulado
no caminho eu encontrei um camelo ondulado
no caminho eu encontrei, no caminho eu encontrei
no caminho eu encontrei um camelo ondulado
Ip au au au ip au/ ip op, ondulado
ip au au au ip au/ ip op, ondulado
ip au au au, ip au au au
ip au au au ip au/ip op, ondulado
No caminho eu bebi um guaraná, glup, glup...
ip au au au ip au/ ip op, ondulado, glup, glup...
no caminho eu encontrei um doutor, ai que dor...
ip au au au ip au? ip op, ondulado, glup glup, ai que dor, etc, etc, etc...
Para brincar, os brincantes ficam espalhados, desde que o condutor da brincadeira seja visto e ouvido por todos. As pessoas vão cantando a música e fazendo movimentos de acordo com o que a letra sugere.
Na parte do "Ip. Op.", todos movimentam os polegares para cima e para baixo; quando começar a cantar "Ip au au au Ip au" deve se bater uma mão na outra (como se estivessem limpando as mãos) e sempre que a letra da música sugerir que algo foi encontrado deve-se fazer um movimento referente ao objeto encontrado. E assim sucessivamente.
Exemplos dos movimentos:
No caminho eu encontrei um camelo ondulado: (imitar uma "onda" com o braço)
No caminho eu bebi um guaraná, glup glup: (fazer um gesto de como se bebesse algo, com o polegar apontando para a boca)
No caminho eu comi um biscoito, que delícia: (apertar a pontinha da orelha)
No caminho eu sofri um assalto, mãos ao alto: (levantar os dois braços para o alto)
No caminho eu encontrei um doutor, ai que dor: (pôr as mãos na barriga num gesto fingindo dor)
No caminho eu encontrei uma serpente. tsssss: (imitar com um dos braços o movimento da serpente)
No caminho eu encontrei uma galinha, có có có: (com os dois braços imitar uma galinha batendo asas)
No caminho eu encontrei um monstro, bruáááá: (imitar um monstro terrível)
Uma dica: quem estiver brincando pode usar a imaginação e inventar novos acontecimentos encontrados no caminho da casa da minha tia, em Marrocos.

·        Vai limãozinho!
Quem conheçe o limãozinho?(x2)
A cobra não tem pé,
a cobra não tem mão,
então como ela sobe no pezinho de limão?

Ela sobe (hey), ela desce (hey),
ela tem o corpo mole(x2)

Então,
vai limãozinho, vai
vai limãozinho.
vai limãozinho, vai
vai limãozinho.
Quero parar mas não consigo
Quero parar mas não consigo
Quero parar mas não consigo
Quero parar mas não consigo















BIBLIOGRAFIA

Livros:
SAVASTANO. Helena. Seu filho de  0 a 12 anos : guia para observar o desenvolvimento e crescimento das crianças ate 12 anos . 3 ed. São Paulo: IBRASA, 1982.
KISHIMOTO, Tizuko. Jogo, brinquedo, brincadeira e educação.
ORSO, Darci.. Atividades recreativas, resgantando o prazer do brincar.

SITES:











































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário